este espaço pode ser meu

Não temos que gostar

Nós não temos que gostar da miúda.
Não temos que gostar da camisa, da saia ou das calças.
Não temos que gostar do penteado.
Do nariz, da cor dos olhos ou do desenho das sobrancelhas.
Não temos que gostar do ar teatral.
Não temos que gostar de quem está por trás ou pela frente.
De quem apoia ou deixa de apoiar.
Não temos que gostar dos seus defeitos.
Não temos de gostar das suas acções.
Não temos sequer de aceitar que há uma miúda de 16 anos a dar ralhetes e lições aos donos disto tudo. Talvez seja isso o mais difícil. Saber que há alguém de tão tenra idade cheia de razão. E isso é lixado de aceitar. Não temos que aceitar nem gostar disso.
Só temos que perceber que, no limite (e nós estamos num limite!), a mensageira não interessa para nada.
Cuidemos da mensagem.


Quer ser o primeiro a receber o próximo artigo?

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *